Seqüência Chocante

•21 setembro, 2008 • Deixe um comentário

Aí vai uma seqüência de uma das cenas mais frustrantes dos Jogos.

O dia mais emocionante de TODOS!

•10 setembro, 2008 • 6 Comentários

Estou devendo este post faz tempo.

Todos que me encontram me perguntam… Você estava lá no dia da Maurren?

SIM, EU ESTAVA.

Imaginem como eu reagi? Chorei loucamente, como todos devem imaginar.

Acompanhei todos os detalhes da prova. Na verdade, já tinha acompanhado tudo de perto desde a qualificação, dois dias antes.

Ou seja, acompanhei a favorita Naide Gomes ser desqualificada da prova. Era impressionante ver o quanto ela estava sobrando, estava tranqüila. Mas também foi impressionante vê-la se apavorar depois de 2 queimas. Na verdade, acho que nunca vi um atleta de nível tão alto se comportar desta forma. Ela simplesmente surtou no terceiro salto, quase parando com medo da tábua. Bom… foi nessa hora que começou a ser escrita a maior história de sucesso do fenômeno Maurren Maggi.

Pra quem acha que ela deu sorte (e deu mesmo!!), posso dizer que ela é uma atleta dessas raras. Aqui no Ibirapuera, nos testes e nos treinos ela só é páreo para os homens. Os treinos são compatíveis com treinos de muitos atletas homens. Então… para essas pessoas que acharam que foi só sorte, fica aí o puxão de orelha. Ela é realmente uma atleta fora de série, vitoriosa, mesmo com a pouca estrutura do esporte profissional no Brasil.

Voltando ao dia mais emocionante de todos.

Eu estava lá, e comemorei muito o primeiro salto, pois já sabia que qualquer salto acima de 7 metros era medalha garantida. Vi ela saltando o 6,99m do Troféu Brasil, e sabia que ela podia sim saltar acima dos 7m. Mas realmente não estava preparada para comemorar já no primeiro salto.

Com o decorrer da prova, ficou claro quem as reais adversárias (na verdade, a Lebedeva era depois da Naide a adversária mais perigosa mesmo, mas como eu sabia que algumas atletas eram muito fortes fisicamente – tipo aquela americana do salto horroroso, poderiam tirar da cartola um salto mágico).

No terceiro salto, liguei para o Ronalto, que estava no vôlei Brasil x Itália para saber como estava lá e para dizer o que estava acontecendo no Ninho.

Voltei a ligar na última rodada de saltos, assim que a Lebedeva foi chamada para saltar. Narrei o que consegui, se é que pode se chamar um monte de berros, misturado com choro de narração. Acho que o Ronalto demorou um pouco para entender o que estava acontecendo, mas pelos meus gritos ele deve ter percebido…

A sensação de estar lá é indescritível. Chorei copiosamente, meio descontroladamente, sem saber direito como comemorar. Quando a Maurren saiu da pista, eu ainda chorava, sentada, como quem não acreditava.

E o hino? O hino foi URRADO pelos 20 brasileiros que estavam espalhados pelo estádio. Os chineses olhavam meio desconfiados, sem entender o que isso significava para nós. Mas sem nenhuma vergonha de fazê-lo, todos nós gritamos o hino do começo ao fim. Eu particularmente, urrava de forma muito desafinada o hino, tentando engolir o choro, sem conter as lágrimas.

Ao sair do estádio, eu ainda tremia, por conta da adrenalina. Foi assim o dia mais emocionante de todos.

PS: Eu, minha irmã e meu pai assistimos ao VT da prova aqui no Brasil já. Choramos todos nós, de novo, juntos. Acho que essa minha reação é hereditária… 🙂

Algumas fotos da Galera

•10 setembro, 2008 • Deixe um comentário

Fotos de galera em Pequim!

galera no ninho

galera no ninho

brasileiros e jamaicanos no dia da final do 100m masculino

meninas no estádio

meninas no estádio

restaurante chinês - comi quase todos os dias lá

restaurante chinês - comi quase todos os dias lá

restaurante chinês no fatidico dia de Brasil x Argentina

restaurante chinês no fatídico dia de Brasil x Argentina

Fotos de Galera em Shanghai

familia na casa onde meu pai morou quando criança

família na casa onde meu pai morou quando criança

Fotos de Galera em Dubai

primas lindas no safari no deserto

primas lindas no safari no deserto

meninas no madinat jumeirah

meninas no madinat jumeirah

tomando café no kempinski - digam ai, minha prima karen (a da direita) não se parece MUITO comigo?

tomando café no kempinski - digam aí, minha prima karen (a da direita) não se parece MUITO comigo?

Curiosidades de Dubai

•5 setembro, 2008 • Deixe um comentário

Dubai cresce a um ritmo alucinante. Muitas pessoas nos últimos anos, inclusive, enriqueceram às custas do mercado imobiliário desta cidade dos Emirados Árabes. O metro quadrado lá é algo comparado aos metros quadrados mais caros do mundo. A cidade inteira está em obras.

O grande problema é que a infra-estrutura da cidade não tem acompanhado esse crescimento frenético. Não existe transporte público decente. Todos só andam de carro e táxi. O metrô está sendo construído, mas as linhas ainda são poucas. Fora o calor que é aquilo lá… Ficar simplesmente andando pela cidade é impossível.

O trânsito em Dubai dentro de alguns anos ficará provavelmente pior do que São Paulo, caso o ritmo de crescimento tanto do ramo imobiliário como da infra-estrutura de transportes continue assim.

Mas o que mais me espantou foi a rede de esgotos de Dubai. Os hotéis maravilhosos, os grandes empreendimentos imobiliários e as áreas residenciais da cidade não são servidas por uma rede integrada de esgotos. Diariamente, centenas, se não milhares (literalmente) de caminhões retiram os dejetos da cidade e levam para um grande aterro na periferia de Dubai. O problema é que a vazão é limitada, então, em uma das estradas próximas à cidade, forma-se uma grande fila quilométrica (sem brincadeira), de caminhões CHEIOS de esgoto.

Um dos condomínios que foi construído para ser um lugar descolado, bacana, chamado de International City, foi um dos prejudicados por esse avançado sistema de escoamento. O tal do condomínio fica próximo à estrada, e é afetado pela fila quilométrica de caminhões. E foi gentilmente batizada de INTERNATIONAL SHITY.

Minhas queridas primas que estão morando lá em Dubai viveram por vários anos na Inglaterra, e uma das grandes reclamações é a falta de programas culturais existentes na cidade. Existem bares (que ficam dentro dos hotéis, pois só estes são autorizados a vender bebidas alcoólicas), boates (que também ficam dentro dos bares), restaurantes, cinemas e só. Coitadas… para quem chegou da Europa, isso foi um grande choque.

Para todos que me perguntam… O que eu achei de Dubai? A resposta é… Adorei ver minhas primas. Fiquei felicíssima em reencontrá-las. De resto, no verão, é uma cidade ótima para se fazer compras, e ver alguns bonitos prédios e construções.

Curiosidades Chinesas

•2 setembro, 2008 • 1 Comentário

A partir de agora, vou postar algumas novidades meio fora de ordem!

Começo por algumas curiosidades culturais chinesas.

1. Pra começar, a moda chinesa é bastante diferente da moda ocidental. Quase todas as lojas de roupas femininas tinham babados e brilhos. As mulheres usam meia de seda (comprimento de meia soquete) com sandália. O gosto por hello kittys também é evidente. Numa das lojas, vi um UMIDIFICADOR DE AR da hello kitty. Pode?

2. Os homens também têm um gosto questionável do nosso de ponto de vista ocidental (olha que já me considero brasileira!!!). Eles usam bermuda e camiseta esportivas com meia e sapatos sociais. E saem de pijamas nas ruas. O governo até teve de fazer uma campanha para que os homens não saíssem de pijama nas ruas! Pode?

3. Aproveitando o clima de Lei Seca em São Paulo, gostaria de deixar também registrado o momento em que fomos parados numa batida policial. Meu amigo, o Li, que estava dirigindo, foi intimado a passar pelo teste do bafômetro manual para testar seu nível de álcool no sangue. Para comprovar que não tinha bebido, meu amigo baforou na mão do policial, o qual cheirou a mão baforada, comprovando que ele não estava bêbado. Pode?

4. Nessas épocas de verão, tem dias em que o calor fica bem punk. Assim, alguns cidadãos, diga-se de passagem, proprietários de casa, tiram seus colchonetes, os estendem na rua, e dormem na calçada para economizar no ar condicionado. E não é só um. Há ruas com dezenas de pessoas dormindo nas ruas por causa do calor. Pode?

5. As falsificações rolam soltíssimas. Fomos engambelados na compra de um pen drive que deveria ter 8GB, mas só tem 4GB. Enfim… disso, todo mundo já sabe. A China é um stand center de 9.561.000 km². Mas e carro falsificado, vocês já viram???? Sim, lá eles falsificam até carros.

corolla falsificado

corolla falsificado

6. A prefeitura aqui em São Paulo tirando vagas de zona azul para o trânsito andar, e em Shanghai, os donos de bares e banquinhas colocam as mesas na rua! Pode?

O Olympic Green

•30 agosto, 2008 • Deixe um comentário

Do vôlei, fomos direto para o Olympic Green, o famoso Parque Olímpico. Bom, pode parecer meio pedante, pelo que muitos já ouviram falar. Mas tenho que deixar aqui a minha impressão sobre o complexo que foi montado para este evento.

O lugar é ENORME e simplesmente LINDO. Para andar de uma ponta a outra, leva-se bastante tempo. Por isso a necessidade de planejar tudo com tanta antecedência.
No dia em que fomos ao cubo d’água, vimos uma mulher chinesa (provavelmente com o único ingresso que ela tinha conseguido) gritando horrores com os voluntários, dizendo que chegou na hora para o evento, mas que fizeram ela andar tanto que ela se atrasou uns 40 minutos. Ficou gritando que ela tinha ido lá para assistir e não para competir/correr. Achei até razoavelmente justa a reclamação dela. Para pessoas com dificuldades de locomoção, aquele lugar era praticamente impossível. Andava-se muito, muitas escadas, poucas rampas… Acho que esse foi o defeito.

De resto, o lugar ficou realmente extasiante.

Neste dia em que fomos mais cedo para o Olympic Green, andamos até a outra ponta (do ooooouutro lado do estádio) para conhecer a loja oficial dos produtos Beijing 2008. No caminho passamos pelos prédios (sim, eram prédios/construções e não estandes) dos patrocinadores oficiais. Entramos só no da Adidas, porque já tinham recomendado a visita.

Enfim, chegando na super store, uma surpresa. A fila para entrar parecia fila do brinquedo mais concorrido de um parque de diversão. A fila era gigantesca. Impressionante… tudo para gastar dinheiro…

Pior é… nós entramos na fila! Afinal de contas, PRECISÁVAMOS dar uma olhadinha, né? Tínhamos algumas encomendas para levar ao Brasil!

Prévia das Finais

•30 agosto, 2008 • Deixe um comentário

Como no dia anterior tínhamos planejado vender os ingressos e ir para a muralha, mas fomos atrapalhados pela chuva, tentamos fazer a mesma coisa no dia seguinte, com a condição de que não poderíamos perder dinheiro na venda dos ingressos de vôlei, como aconteceu no dia anterior. Se isto acontecesse, assistiríamos ao jogo, afinal de contas, era o último dia do meu irmão em Pequim, e ele ainda não tinha assistido a nenhum jogo de vôlei ainda.

Como prevíamos foi difícil vender o ingresso. Tinha uma master galera na porta tentando vender, aí acabamos nem tentando vender e fomos assistir EUA x Rússia, o confronto que definiria o adversário do vencedor de Brasil x Itália.

Depois do inicio do jogo, eu e meu irmão chegamos a conclusão de que era melhor enfrentar os EUA do que a Rússia, uma vez que eles eram mais aplicados, mas tecnicamente inferiores. (Para os entendedores de vôlei, peço desculpas caso nossa avaliação tenha sido errada – somos meros espectadores amantes do esporte, mas sem profundos conhecimentos da modalidade). A Rússia, como era melhor tecnicamente, podia surpreender mais do que os americanos numa eventual final com o Brasil.

Então tivemos que torcer para os EUA contra uma torcida mega barulhenta da Rússia.
Mal sabia eu o que nos esperava…